sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

O destino

"Os Estóicos bem afirmaram com certeza que todas as coisas ocorrem por fado, servindo-se do seguinte exemplo: um cão  que está  amarrado a um carro, se quiser segui-lo, é puxado e o segue, fazendo necessariamente aquilo que também  faz por sua vontade; se, ao contrário, não  quiser segui-lo, sera obrigado, de toda forma, a fazê-lo. A mesma coisa na verdade ocorre com os homens. Mesmo que não queiram seguir [o Destino], serão em todo caso obrigados a chegar ao que foi estabelecido pelo fado." Sêneca  dirá , traduzindo um verso de Cleanto com sentença lapidar: "Ducunt volentem fata, nolentem trahunt" ( "O destino  guia quem o aceita, e arrasta quem o rejeita"). Giovanni Reale p. 286 História da Filosofia

Nenhum comentário:

Postar um comentário